ter. out 15th, 2019

Os 10 melhores Coringas de todos os tempos

O Coringa está com tudo. Além de estar na boca do povo antes mesmo de sua estreia nos cinemas de todo o mundo, o personagem está em destaque na DC Comics nos últimos anos e é um dos protagonistas do evento Year of the Villain, com roteiros de ninguém menos que John Carpenter (diretor de Halloween, Eles Vivem, entre outros clássicos do terror e sci-fi).

Mas… qual seria a melhor versão do personagem fora dos gibis? Bem, vamos dar uma olhada em algumas das adaptações que se destacaram tanto no cinema, quanto nas telinhas e nos games.

10. Jeff Bennett (animação Batman: The Brave and the Bold)

(Imagem: Cartoon Network/Reprodução)

A animação Batman: The Brave and the Bold tem um tom mais leve e busca o tom que Cesar Romero usou no seriado dos anos 60, com aquele ar de gângster atrapalhado. Contextualmente, também funcionou como um bem-vindo alívio cômico, pois suas duas versões anteriores, na época, eram muito sombrias para um desenho que podia ser visto pelos pequenos.


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

9. Kevin Michael Richardson (animação The Batman)

(Imagem: Cartoon Network/Reprodução)

Embora o visual e o comportamento desse Coringa sejam mais espalhafatosas do que de costume, essa versão marcou sua presença como tiradas filosóficas entre o misto de comédia e ameaça. E, bem, esses são traços clássicos do vilão. A animação The Batman não chegou a fazer tanto sucesso assim, mas teve lá seus momentos, inclusive com um estilo diferente de narrativa.

8. Troy Baker (série de jogos Batman Arkham)

(Imagem: Reprodução/Warner Bros. Interactive Entertainment)

Quem está acostumado com a série do Cavaleiros das Trevas nos consoles sabe que esse Coringa é tão insano e cruel quanto as piores versões do personagem nos quadrinhos. Sua pegada é do vilão nos primeiros anos, ainda muito impulsivo e sem a experiência de anos. Então, em vez do sangue frio, aqui vemos ele um pouco mais agitado.

7. Zach Galifianakis (animação The Lego Batman Movie)

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

Essa talvez seja a versão mais engraçada do Palhaço do Crime e, bem, vem de uma animação para crianças, então ele tinha de ser mais light mesmo. Zach já tem naturalmente essa veia cômica e, depois que seu plano dá errado nos primeiros 15 minutos do filme, é muito divertido ver o vilão tentar mostrar para o Homem-Morcego a conexão eterna que ambos têm.

6. Cameron Monaghan (série Gotham)

(Imagem: Reprodução/Fox)

Essa é uma versão que chega perto da de Joaquin Phoenix, com a mesma proposta de explorar a ideia por trás do vilão. Aliás, foi com Jerome e Jeremiah Valeska que o conceito de “três Coringas” do roteirista Geoff Johns, e de imortalidade, de Scott Snyder, prosperou fora dos quadrinhos. Dá até para dizer que, sem esse experimento, talvez demorássemos mais tempo para ver o filme de Todd Phillips nos cinemas.

5. Mark Hamill (animação Batman: The Animated Series)

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

Todo mundo Mark Hamill conhece mais como o Luke Skywalker de Star Wars, mas ele fez um excelente trabalho de dublagem com o Coringa. Tão bom que se tornou uma referência canônica em todas as outras plataformas. Sua energia e tons desafiadores, junto com os momentos de vulnerabilidade, especialmente com Harley Quinn, tornaram os altos e baixos dessa mente insana ainda mais interessantes nas telinhas.

4. Cesar Romero (série de TV do Batman dos anos 60)

(Imagem: Reprodução/Inverse)

Um clássico é um clássico. Foi com Romero que a imagem tenebrosa do “Homem que Ri”, filme que inspirou a criação do vilão, ganhou um ar mais divertido e dark — mesmo arrancando risadas, ele tinha um olhar assustador. E mais, o visual do ator se tornou a iconografia tradicional do personagem. Basta ver as várias das adaptações ou perguntar para leigos: possivelmente a imagem mais associada ao Coringa é justamente a que se tornou popular no seriado dos anos 60.

3. Jack Nicholson (filme Batman)

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

Em 1989, enquanto Tim Burton construía uma Gotham com ares góticos em uma Nova York que mais parecia Chicago, Jack Nicholson nos fazia o favor de reconstruir a imagem quase inofensiva de Romero em um vilão sombrio e cruel — sem deixar o humor ácido e divertido de lado. Mesmo sendo um tanto quanto cartunesco, foi com Nicholson que o Coringa se tornou um personagem muito mais perigoso nas telonas.

2. Heath Ledger (filme Batman: O Cavaleiro das Trevas)

(Imagem: Reprodução/Warner Bros.)

Se Nicholson tinha reconstruído o Coringa para uma nova geração, Ledger o reinventou com uma pegada mais crua e real. A ameaça dessa versão foi a mais assustadora de todas. Seu passado misterioso e o comportamento completamente caótico, assim como os trejeitos e a dedicação do ator, elevaram o vilão para um outro patamar, em todas as mídias. Não à toa, ele foi condecorado com um Oscar póstumo.

1. Joaquin Phoenix (filme Coringa)

Viúvas de Ledger, abram alas. Muitos podem achar a interpretação de Phoenix exagerada ou não concordar com a visão extremamente sombria de Todd Phillips. Mas esse é um Coringa muito próximo da história definitiva do personagem, A Piada Mortal, e é o que mais incomoda o Homem-Morcego. É o Palhaço do Crime que foi criado pelas próprias mazelas da sociedade — abandonado pelos pais, marginalizado pela sociedade, destroçado psicologicamente pelo mundo.

Phoenix e Todd Phillips levaram para o cinema, assim como Bale e Christopher Nolan, o que acontece nos quadrinhos: sempre vai existir um Coringa e um Batman, enquanto o que eles representam precisar existir.

E, bem, listas existem para gerar discussão. Qual é melhor Coringa na sua opinião?

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: